Minha Vida - Saúde, Alimentação e Bem-Estar

Diabetes tipo 2 e obesidade pioram condições do parto

Estudo aponta complicações como pré-eclâmpsia, parto prematuro e admissão à UTI


O diabetes tipo 2 e obesidade representam um combo perigoso para grávidas. De acordo com estudo publicado no The Journal of Maternal-Fetal and Neonatal Medicine, essas duas condições abrem as portas para complicações na hora do parto e no recém-nascido.

Para determinar a influência dessas doenças em grávidas, os pesquisadores da University of Rochester Medical Center, Estados Unidos, usaram registros clínicos e certidões de nascimento para identificar 213 pares de mulheres que tiveram filhos no New York University Medical Center entre 2000 e 2008. Cada par incluiu uma paciente diabética e outra não-diabética com, aproximadamente, o mesmo IMC antes da gravidez. A maioria das mulheres estava com sobrepeso, obesidade ou obesidade mórbida.

Usando modelos matemáticos e controlando fatores externos, como idade e fumo, os pesquisadores perceberam que os pacientes com diabetes tipo 2 tiveram uma gravidez de pior qualidade, assim como parto e saúde dos recém-nascidos, quando comparadas às suas duplas de IMC idêntico. As pacientes com diabetes tiveram maiores índices de pré-eclâmpsia, parto cesárea, distócia de ombro (quando o ombro da criança tem dificuldades para passar), parto prematuro, bebê grande demais para a idade gestacional, anomalias fetais e de admissão à UTI neonatal. 

Faça sua avaliação de peso!

Saiba se você está acima
ou abaixo do peso.

Ex: 75,5kg, 1,70m

Confira 20 dicas para ficar de bem com a balança durante a gravidez

Para evitar o problema de ganho de peso na gravidez, o ortopedista Ricardo Cury, da Sociedade Brasileira de Ortopedia, e a nutricionista Mariana Del Bosco Rodrigues, da Abeso (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica) dão 20 dicas:

1. Procure alimentar-se a cada 3 horas;
2. Para contornar o enjôo matutino, deixe alimentos secos (polvilho, biscoito) ao lado da cabeceira da cama. Mande um deles para dentro antes mesmo de se levantar;
3. Cereais integrais são excelentes fontes de vitaminas do complexo B, essenciais para minimizar o desconforto com o enjôo;
4. Consuma cálcio (leite e derivados), mineral determinante para garantir a saúde óssea da mãe;
5. Não esqueça o ferro (carne, grãos) para evitar anemia;
6. Inclua na sua dieta alimentos ricos em ácido fólico (folhas verde-escuras), pois ele garante a formação do tubo neural do bebê;
7. Coma um filé de peixe, frango ou carne magra todos os dias. Além de dar a sensação de saciedade, esses alimentos garantem proteínas suficientes para o bebê e ainda ajudam a dar elasticidade à sua pele, evitando estrias;
8. Para evitar o inchaço, comum no último trimestre, é importante ingerir bastante líquido e moderar no consumo de sal;
9. Seu prato deve ser bem colorido, o que indica a variedade de nutrientes;
10. Faça suas refeições com calma, sem pressa de engolir os alimentos. Isso facilita a sua digestão e evita que você coma mais do que sua fome exige realmente exige;
11. Cuidado com os alimentos dietéticos e adoçantes em excesso. Eles contêm substâncias químicas. Converse com seu médico a respeito; 

12. Evite alimentos que contenham muita gordura, como creme de leite e alguns tipos de carnes vermelhas e embutidos;
13. Corte as frituras e empanados durante os nove meses. Estes alimentos só irão engordá-la, pois possuem um tipo de gordura que não é utilizada nem pelo seu organismo, nem pelo de seu bebê;
14. Pratique hidroginástica. É ótimo para manter em ação toda a musculatura de seu corpo e sem causar nenhum tipo de impacto que possa comprometer o bebê;
15. Alongue-se. Ajuda a manter o equilíbrio do seu corpo e evita sobrecargas na coluna;
16. Faça musculação, mas pule os exercícios de impacto. Nessa fase, o importante é manter a forma e isso você consegue com séries leves, de menos peso, e sempre acompanhada por um instrutor;
17. Não abuse dos doces;
18. Fuja das bebidas alcoólicas;
19. Não tome remédios para emagrecer, como moderadores de apetite ou aceleradores do metabolismo. Podem fazer mal a você e ao seu bebê. Consulte sempre seu médico;
20. Não faça dieta por conta própria. Procure uma nutricionista para ajudá-la a montar um cardápio. 


Este conteúdo ajudou você? Já ajudou você e + 1254 pessoa(s) Já avaliou

Imprima

Erro

erro

Comente

Compartilhe

siga o minha vida e melhore sua qualidade de vida

Saiba mais

Copyright 2006/2014 Minha Vida - Todos os direitos reservados

"As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas."


Copyright 2008 Yahoo! Todos os direitos reservados