Aterosclerose

Visão Geral

O que é Aterosclerose?

Aterosclerose, é uma condição em que ocorre o acúmulo de placas de gordura, colesterol e outras substâncias nas paredes das artérias, o que restringe o fluxo sanguíneo e pode levar a graves complicações de saúde. Suas manifestações dependem do local que a doença compromete primeiro. Entre elas estão: infarto ou angina quando acomete as artérias coronárias, dor e claudicação em membros inferiores quando acomete as pernas e, por fim, acidente vascular cerebral quando compromete as carótidas.

A aterosclerose é um tipo específico de arteriosclerose, embora ambos os termos sejam usados muitas vezes como sinônimos.

Por volta de 1790 o médico Edwuard Jenner, descobridor da vacina contra a varíola, dissecava um cadáver à procura da causa da morte - que ocorreu após um longo período de sofrimento marcado por fortes dores no peito. Ele encontrou, dentro de uma das artérias, uma substância dura e muito similar à areia, a qual ele definiu como “pequenas pedras”.

Tratavam-se de placas de colesterol presas às paredes da artéria, o que hoje a Medicina sabe se tratar de um caso de aterosclerose.

Causas

A aterosclerose é provocada pelo acúmulo de placas de gordura, colesterol e outras substâncias nas paredes arteriais, responsáveis por levar sangue e oxigênio ao corpo. Esse acúmulo causa o estreitamento das artérias, prejudicando o fluxo sanguíneo.

Eventualmente, partes desses depósitos de gordura nas artérias podem se soltar e entrar na corrente sanguínea, espalhando-se pelo corpo. Isso pode acarretar na formação de um coágulo sanguíneo em qualquer parte do organismo, seja este fixo ou móvel, o que também prejudicará o fluxo do sangue para outros órgãos.

Fatores de risco

O endurecimento das artérias ocorre ao longo do tempo. Além do envelhecimento, fator de risco comum entre várias doenças cardíacas, outros fatores que aumentam as chances de uma pessoa desenvolver aterosclerose incluem:

Sintomas

Sintomas de Aterosclerose

Os sintomas da aterosclerose podem ser bastante evidentes, mas, em alguns casos, uma pessoa pode ter a doença e não apresentar nenhum sinal disso.

Dor no peito ou desconforto (angina) é um dos sintomas da aterosclerose nas coronárias. Ele aparece quando o coração não está recebendo sangue ou oxigênio suficientes. O grau da dor costuma variar de pessoa para pessoa. Outros sintomas da aterosclerose incluem falta de ar e fadiga quando o indivíduo realiza esforço físico.

A dor também varia de acordo com o local em que acontece o estreitamento das artérias. Dores em pernas ao caminhar, que melhoram com repouso, queda de pelos nas pernas e pele fria e palidez nos dedos pode indicar comprometimento de artérias nestes locais.

Acidente vascular cerebral pode ser o primeiro sintoma de aterosclerose carotídea, que também pode apresentar fenômenos transitórios, como tonturas.

Mulheres, idosos e indivíduos com diabetes são mais propensos a apresentar esses sintomas, além de uma sensação de fraqueza também.

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

Se você acha que tem aterosclerose por meio da observação dos sintomas, procure ajuda médica o quanto antes. Preste atenção a sintomas que estejam relacionados ao fluxo inadequado de sangue, como dor no peito, dor nas pernas ou dormência em qualquer parte do corpo. Buscar ajuda médica é essencial para prevenir possíveis complicações. Diagnóstico e tratamento precoces podem evitar o agravamento da aterosclerose e prevenir um eventual ataque cardíaco, acidente vascular cerebral ou outra emergência médica que possa colocar sua vida em risco.

Na consulta médica

Entre as especialidades que podem diagnosticar aterosclerose estão:

  • Clínica médica
  • Cardiologia
  • Angiologia

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Alguém da sua família tem histórico de colesterol alto, hipertensão ou outra doença do coração?
  • Como é sua alimentação?
  • Você pratica exercícios físicos regularmente?
  • Você fuma?
  • Você faz uso de outras substâncias químicas?
  • Você sente dores no peito, nas pernas ou dormência?
  • Qual a intensidade das dores?
  • Você sente fraqueza, falta de ar e fadiga com frequência?

Diagnóstico de Aterosclerose

O médico iniciará o diagnóstico por um exame físico e com perguntas sobre o histórico médico do paciente e de sua família. Depois, solicitará a realização de alguns exames. Existem muitos deles que podem ajudar a diagnosticar aterosclerose. Geralmente, o médico solicita mais de um exame para obter um diagnóstico preciso.

Os testes para aterosclerose podem incluir:

  • Angiografia/arteriografia coronária, um exame invasivo que avalia as artérias coronárias em raiosX
  • Ecocardiograma
  • Eletrocardiograma (ECG)
  • Angiotomografia do coração, para verificar o nível de cálcio no interior das artérias. Quanto mais cálcio, maior o risco
  • Também é possível utiliza-la para medir o grau de estenose(Obstrução) de uma artéria
  • Teste de esforço físico
  • Angiografia por ressonância magnética
  • Teste de esforço nuclear (Cintilografia do miocárdio)
  • Ultrassonografia com doppler (muito importante para avaliação de carótidas e artérias de membros inferiores).

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Aterosclerose

O médico poderá prescrever um ou mais medicamentos para tratar a pressão arterial, o diabetes ou níveis altos de colesterol. Siga com atenção as recomendações do especialista para evitar uma piora do quadro da aterosclerose.

Os objetivos do tratamento dessas condições em pacientes com aterosclerose é estabilizar seus níveis e evitar o agravamento da doença. Mas o tratamento em si depende dos sintomas e da gravidade da doença. O médico poderá prescrever um ou mais remédios específicos para o caso especificamente.

Nunca interrompa repentinamente o uso de nenhum desses medicamentos. Fale sempre com o médico primeiro. A interrupção repentina pode piorar os sintomas ou causar um ataque cardíaco.

Há também a opção cirúrgica. Os procedimentos e cirurgias utilizados para tratar a aterosclerose incluem:

  • Angioplastia e colocação de stent, chamada de intervenção coronariana percutânea (ICP)
  • Cirurgia de revascularização (No coração com pontes de safena ou mamária, nas pernas com vasos da mesma perna e nas carótidas com materiais específicos)

Convivendo (prognóstico)

Convivendo/ Prognóstico

As mesmas mudanças de estilo de vida recomendadas para prevenir a aterosclerose também ajudam a trata-la. Estas incluem:

  • Parar de fumar
  • Alimentar-se de uma dieta saudável
  • Exercitar-se regularmente
  • Manter um peso saudável.

Complicações possíveis

As complicações da aterosclerose dependem de quais artérias foram afetadas. A doença pode causar problemas mais graves, como:

  • Doença arterial coronariana
  • Doença arterial carótida
  • Doença arterial periférica

Expectativas

Cada paciente com aterosclerose se recupera de forma diferente. Alguns pacientes são capazes de manter uma vida saudável mudando a dieta alimentar, parando de fumar e tomando os medicamentos de acordo com as orientações médicas. Outros podem recorrer a procedimentos médicos como a angioplastia ou cirurgias para tratar aterosclerose.

Mesmo que cada pessoa reaja de forma diferente, o diagnóstico precoce da aterosclerose geralmente resulta em um resultado mais positivo.

Prevenção

Prevenção

Alguns dos fatores de risco para aterosclerose que você pode alterar são:

  • Não fumar
  • Praticar exercícios físicos
  • Manter um peso saudável
  • Fazer exames e tratamento para depressão
  • Mulheres que pertencem ao grupo de risco mais alto para doenças cardíacas devem ingerir suplementos de ácidos graxos com ômega 3
  • Se você consome álcool, procure não exagerar.

A nutrição é importante para a saúde do coração e ajudará a controlar alguns dos fatores de risco para doenças cardíacas. Veja exemplos:

  • Escolha uma dieta rica em cereais integrais, frutas e vegetais
  • Prefira proteínas magras como frango, peixe, feijão e legumes
  • Consuma laticínios semidesnatados, como leite e iogurtes
  • Evite sal em excesso e gorduras encontradas em frituras, alimentos processados e assados
  • Consuma menos produtos de origem animal que contêm queijo, nata ou ovos
  • Leia os rótulos e fique longe de "gordura saturada" e de tudo que contenha gordura "hidrogenada" ou "parcialmente hidrogenada". Estes produtos geralmente estão carregados de gorduras prejudiciais à sua saúde.

Fontes e referências

  • Revisado por: Dr. Bruno Valdigem, cardiologista – CRM: 118535
  • Ministério da Saúde
  • Sociedade Brasileira de Cardiologia
  • Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia
Este conteúdo ajudou você?
Sim Não
;
Copyright 2008 Yahoo! Todos os direitos reservados