Pé de atleta

Visão Geral

O que é Pé de atleta?

Sinônimos: frieira, micose nos pés

O pé de atleta, conhecido popularmente como frieira, é uma infecção nos pés causada por fungo. É a doença fúngica mais comum dentre todas as que acometem a pele.

Causas

O pé de atleta é causado por diferentes fungos do gênero Tricophyton, o mesmo tipo que causa a micose. Meias e sapatos úmidos favorecem o crescimento desses organismos nos pés.

O pé de atleta é contagioso e pode ser transmitido pelo contato com uma pessoa infectada ou por contato com superfícies contaminadas, como toalhas, pisos e calçados. Os indivíduos, no entanto, não adquirem facilmente a infecção entrando em contato com o fungo, existem fatores imunológicos e de barreira que impedem a pene tração do fungo.

Fatores de risco

Uma pessoa está em maior risco de contrair pé de atleta se:

  • For do sexo masculino, embora também possa surgir em pessoas do sexo feminino também
  • Usar meias úmidas ou calçados apertados
  • Compartilhar esteiras, tapetes, roupas de cama, roupas ou sapatos com alguém que tem a infecção fúngica
  • Andar descalço em áreas onde a infecção pode se espalhar, como vestiários, saunas, piscinas, banheiras e chuveiros comuns
  • Ter um sistema imunológico enfraquecido

Sintomas

Sintomas de Pé de atleta

O sintoma mais comum do pé de atleta é apresentar pele rachada e descamada entre os dedos ou na parte lateral do pé. Outros sintomas podem incluir:

  • Pele vermelha e com coceira
  • Sensação de queimação ou dor
  • Surgimento de bolhas

A infecção pode afetar um ou ambos os pés e pode se espalhar para as unhas, que ficam descoloridas, grossas e quebradiças. O pé de atleta também pode se espalhar para as mãos - especialmente se a pessoa arranhar ou pegar nas partes infectadas de seus pés. O pé de atleta pode ocorrer juntamente com outras infecções de pele por fungo.

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

Se você apresentar uma erupção no pé que não melhora dentro de algumas semanas, consulte um especialista. Procure ajuda médica principalmentese você tiver diabetes e suspeitar que tenha pé de atleta ou se você notar vermelhidão excessiva, inchaço ou febre.

Na consulta médica

Entre as especialidades que podem diagnosticar um pé de atleta (frieira) estão:

  • Clínica médica
  • Dermatologia
  • Infectologia
  • Geriatria

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Quando os sintomas surgiram?
  • Você frequentou piscinas públicas recentemente ou outro local em que possa ter contraído frieira?
  • Você tem o costume de trocar as meias e os sapatos?
  • Você sente coceira?
  • Qual a intensidade de seus sintomas?
  • Você tomou alguma medida para aliviar os sintomas? E funcionou?

Diagnóstico de Pé de atleta

Em alguns casos, o médico pode ser capaz de diagnosticar um caso de pé do atleta simplesmente por meio da observação clínica. Para ajudar a confirmar o diagnóstico e descartar outras condições, o médico pode, também:

  • Recolher amostras da área infectada e visualizálas sob um microscópio
  • Examinar os pés sob a luz negra ou luz de Wood
  • Enviar uma pequena amostra de pele para um laboratório para ser testado.

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Pé de atleta

Se a micose for recente, de pequena intensidade ou causada por um fungo não resistente a tratamento tópico, o médico poderá sugerir o uso de um antifúngico de venda livre, geralmente vendido como uma pomada, loção ou em pó. Se o pé de atleta não responder a esse tipo de tratamento, você pode precisar de um medicamento mais forte, que somente o médico poderá receitar. Infecções graves podem necessitar de comprimidos antifúngicos de via oral.

Convivendo (prognóstico)

Convivendo/ Prognóstico

Algumas medidas caseiras podem ajudar a acelerar o tratamento e garantir recuperação mais rápida, como:

  • Manter os pés limpos e secos, principalmente entre os dedos
  • Lavar os pés cuidadosamente com sabonete e água e secar a área por completo
  • Use meias de algodão limpas e troque as meias e o calçado quantas vezes forem necessário para manter os pés secos e saudáveis.

O pé de atleta geralmente responde bem aos cuidados caseiros, embora ele possa voltar se os cuidados não foram mantidos e se a pessoa voltar a ser exposta aos fatores de risco.

Complicações possíveis

Pé de atleta não é um problema de saúde grave, mas, se não for tratado, pode causar algumas complicações, como:

  • Retorno da doença
  • Infecções bacterianas da pele, como erisipela
  • Linfangite e linfadenite.

Expectativas

Os pés de atleta variam de leves a graves e podem durar muito ou pouco tempo. Eles podem persistir ou voltar, mas geralmente respondem bem ao tratamento. Medicação prolongada e cuidados preventivos podem ser necessários.

Se o pé de atleta não melhorar depois de duas a quatro semanas com o cuidado caseiro, ou retornar frequentemente, procure um médico. Ele poderá receitar medicamentos antifúngicos mais fortes. Os antibióticos podem ser necessários para tratar infecções bacterianas que ocorrem por coçar demais.

Prevenção

Prevenção

Para evitar o pé de atleta:

  • Seque seus pés completamente após tomar banho ou nadar
  • Use sandálias ou chinelos em chuveiros ou piscinas públicas
  • Troque as meias com frequência para manter os pés secos. Isso deve ser feito pelo menos uma vez ao dia
  • Use pós secativos ou antifúngicos para evitar o pé de atleta se você tiver propensão a contraí-lo ou se frequentar lugares em que o fungo do pé de atleta for comum (como chuveiros públicos)
  • Use calçados bem ventilados e, de preferência, feitos de materiais naturais, como couro. Alternar os calçados diariamente pode ajudar também, assim eles secam completamente entre cada uso. Evite usar calçados de plástico.

Fontes e referências

  • Revisado por: Dra. Ana Maria Pinheiro, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia – CRM: 5861
  • Sociedade Brasileira de Dermatologia
  • News Medical
  • Bayer
Este conteúdo ajudou você?
Sim Não
;
Copyright 2008 Yahoo! Todos os direitos reservados